sábado, 9 de dezembro de 2017

Eleições de 1958

Está disponível no site da Fundação Mário Soares a primeira sistematização e análise dos resultados eleitorais de 1958. As eleições que oficialmente nunca existiram e que tiveram Humberto Delgado como um dos candidatos.


Distribuição da população residente em 1960, eleitores em 1958 e votação em Américo Tomás e Humberto Delgado, segundo os concelhos, as ilhas adjacentes e os territórios ultramarinos




http://www.fmsoares.pt/aeb/dossiers/dossier05/pdf/002_REHD.pdf










Albergaria-a-Velha




Residentes Censos 1960 - 18446
Eleitores 1958 - 3529
Votantes - 2376 67,3
Américo Tomás - 1442 60,7
Humberto Delgado - 933 39,3



Distrito de Aveiro




Residentes Censos 1960 - 524576
Eleitores 1958 - 86812
Votantes - 58383 67,3
Américo Tomás - 40125 68,7
Humberto Delgado - 17643 30,2

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

2015: Rua alagada prejudica comerciantes

Nos passados dias 4 e 5 de outubro, a forte precipitação que se fez sentir levou a que, mais uma vez, à semelhança do que acontece sempre que chove muito, segundo moradores e comerciantes daquela zona, a Rua Professor Egas Moniz ficasse alagada, tendo mesmo a água entrado em alguns estabelecimentos comerciais


Uma das proprietárias de uma loja no local explicou que terão reportado a situação à Câmara Municipal e “foi-nos dito que já tinham conhecimento desta situação, que está prevista uma grande intervenção nesta rua, estão à espera de autorização para avançar com as obras”.
A mesma lojista referiu que “é impossível aos clientes entrar nas lojas nestas condições. Estou com a minha Boutique há mais de 20 anos e sempre foi assim”.


As árvores são outro problema uma vez que serão as raízes das mesmas que impedem a circulação da água. A maior rua comercial de Albergaria-a-Velha merecia, segundo os lojistas da zona, “há muito uma avenida condigna”.


Correio de Albergaria, 14/10/2015


Esta rua com apenas vinte anos é um bom exemplo de mau planeamento. Esta porção do nosso território era, há 40 anos, uma fértil várzea com uma espessa camada dos mais ricos aluviões e uma belíssima ribeira. Um recurso natural que, até à chegada da especulação imobiliária e do poder autárquico ignorante e interesseiro, alimentou muitas gerações de Albergarienses.


Elísio Apolinário Silva , Facebook

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Vou-me Despedir do Rio

No cartaz figuram ti Silvandiria e ti Emília de Vilarinho de São Roque
O CLDS 3G "Albergaria IntegraT"/Prave, em parceria com o Município de Albergaria-a-Velha, apresenta na próxima quinta-feira, 30 de novembro, a curta-metragem documental "Vou-me Despedir do Rio", baseada em histórias de vida de seniores da freguesia de Ribeira de Fráguas. A sessão tem início às 21h00, no Cineteatro Alba, e é de entrada gratuita.


"Vou-me Despedir do Rio" é realizada por David Gomes e Pedro Cruz e visa resgatar as memórias dos antigos trabalhadores da Fábrica do Caima, bem como recordar o processo de produção do linho, que já teve um papel importante na economia local e constitui hoje uma tradição que é preciso preservar. A produção da curta-metragem está inserida na ação "Uma Vida Uma História", um projeto que visa contribuir para a construção da memória social do Concelho, representando as suas tradições e riquezas.


O documentário conta com a participação de vários seniores de Ribeira de Fráguas, que aceitaram partilhar episódios da sua vida para construir uma narrativa sobre o passado da sua terra. O projeto teve o apoio da Junta de Freguesia de Ribeira de Fráguas, do Rancho Folclórico de Ribeira de Fráguas e da Quinta do Caima.
         
A curta documental foi selecionada, entre 56 filmes de diferentes géneros, para entrar em competição na 23ª edição do Festival Caminhos do Cinema Português que se realiza entre 27 de Novembro e 3 de Dezembro. O documentário é exibido no sábado, pelas 17h30, no Teatro Académico Gil Vicente, em Coimbra.             


CMA


Trailer: https://vimeo.com/242067253?ref=fb-share

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Arquivo Municipal vai reunir historial de todas as famílias Albergarienses


Espólio Foto Gomes
O Vereador da Cultura do Município de Albergaria-a-Velha, Delfim Bismarck, revelou que o Arquivo Municipal está a proceder a um trabalho de inventariação das famílias Albergarienses através da compilação e cruzamento de diversos registos. “Em meia dúzia de anos esperamos ter a maioria da população cadastrada”. A afirmação foi feita na terça-feira, na cerimónia de comemoração do nono aniversário do Arquivo Municipal, onde estiveram presentes vários munícipes que celebraram protocolos de doação e cedência de documentação com a Autarquia.


Com o intuito de promover a preservação da memória coletiva e o estudo da História local, o Arquivo Municipal está a proceder ao levantamento de diferentes registos – registos paroquiais de batismos, casamentos e óbitos; registos de passaporte; encomendas de fotografias da Casa Foto Gomes; registos de velocípedes, motociclos e cartas de condução; fichas de funcionários da Fábrica Alba – de forma a poder construir um historial das pessoas e famílias que viveram em Albergaria-a-Velha. Com a compilação e cruzamento da informação, o munícipe pode recolher diversos dados sobre os seus antepassados, estabelecer relações entre as pessoas e saber “por onde andaram” os familiares, caso tenham emigrado. “O projeto do Arquivo Municipal é único no País, não existe mais nenhum com esta dimensão em termos de quantidade e variedade dos registos levantados”, salienta Delfim Bismarck.


CMAV, 23/11/2017

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Arquivo Municipal - doações e depósitos



Como tem sido hábito ao longo dos anos, o Arquivo Municipal aproveitou a data do seu aniversário para celebrar protocolos de doação e cedência, sendo que, este ano, foram doze os munícipes que disponibilizaram documentação variada ao Município. Entre o material cedido, é possível destacar fotografias do século XX de Albergaria-a-Velha, negativos em vidro e película com paisagens de Angeja dos séculos XIX e XX, a brochura inaugural do Cine-teatro Alba de 1950, documentação da Quinta do Fontão, de 1816 a 1935, e a encadernação de “O Arauto de Osseloa”.
         
O Presidente da Câmara Municipal, António Loureiro, agradeceu a generosidade dos munícipes pela partilha de diversos documentos que contribuem para aprofundar o conhecimento do Concelho. O autarca destacou ainda o papel do Arquivo Municipal no “potenciar da riqueza da nossa História” e na sua divulgação junto de diferentes públicos, em especial, dos mais novos. “As crianças têm gosto em conhecer mais sobre as suas raízes”, afirmou, e deu o exemplo de uma escola que, nas suas salas de aula, já tem fotografias da estátua da Rainha D. Teresa “inaugurada há apenas dez dias!”
         
Ao longo de 2017 o Arquivo Municipal tem dado continuidade à sua missão de tratar e disponibilizar a mais diversa documentação do Concelho ao público, em especial, através do seu portal, que já conta com 2055 utilizadores, que fizeram mais de 54 mil consultas desde a sua criação. Neste ano, foi concluído o trabalho de descrição das atas da Câmara Municipal dos séculos XIX e XX, bem como a inserção de todos os processos de obras particulares e vistorias incorporadas no Arquivo, de 1948 a 1996.
         
Em relação ao espólio fotográfico da Foto Gomes, constituído por 200 mil chapas em vidro e película, é de salientar o registo de mais de 120 mil chapas até à década de 1970. O processo de identificação das várias fotografias está a ser desenvolvido em parceria com os utentes da Misericórdia de Albergaria-a-Velha, tendo o projeto colaborativo sido reconhecido como uma boa prática pela Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas.



CMAV, 23/11/2017




Protocolos 2017 (12)


- fotografias do século XX de Albergaria-a-Velha
- negativos em vidro e película com paisagens de Angeja dos séculos XIX e XX (*)
- brochura inaugural do Cine-teatro Alba de 1950
- documentação da Quinta do Fontão (1816 a 1935)
- encadernação de “O Arauto de Osseloa”
- outros




(*) possivelmente algumas das imagens apresentadas em artigo da revista Albergue nº 4 referentes a postais de Angeja.

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Arquivo Municipal





O Arquivo Municipal de Albergaria-a-Velha comemora o seu nono aniversário no dia 21 de novembro, aproveitando para celebrar vários protocolos com munícipes e entidades locais. A cerimónia de comemoração tem início às 17h00.




domingo, 19 de novembro de 2017

Casa da Administração da Fábrica de Papel de Valmaior

Manuel Letra - Indicou que, num relatório emitido pelos técnicos da Câmara Municipal, estes propuseram possivelmente a demolição da casa da Administração da Fábrica de Papel de Valmaior, um edificado centenário. Lastimou tal atitude, considerando que no passado defendeu-se a preservação do património público municipal. No seu entender, aquele edificado poderia ter sido protegido e conservado para nele se realizarem muitas coisas. Recordou que quando o ex-Presidente da Câmara Municipal Rui Marques avançou com o projeto de modificação daquele edifício, muitos foram contra. Hoje, todos acham que o edifício cumpre as suas missões, felicitando quem levou para a frente o investimento para preservação do mesmo. Questionou do paradeiro de todo o granito dos beirais, das ombreiras das portas, do rodapé, do chão de granito, que dava acesso da casa dos engenheiros, a nascente, entendendo que a Câmara Municipal deveria ter aberto um processo para declarar de interesse municipal o edifício e a sua chaminé, que é um ícone de Valmaior e do município, tendo sido a sua primeira indústria. Advertiu que, no próximo inverno, a chaminé poderá cair.


Vereador Delfim Bismarck – Usou da palavra, esclarecendo que quando o atual executivo iniciou
funções, a casa da Administração da Fábrica de Papel de Valmaior já se apresentava em estado
avançado de degradação, ameaçando ruína. Na altura, foi provisoriamente escorada para o efeito. No
orçamento de 2014, ficou prevista uma verba de aproximadamente € 57.000,00 para iniciar a
recuperação da casa, se tal fosse possível. O inverno foi altamente chuvoso, pelo que a entidade
Estradas de Portugal notificou a Câmara Municipal para demolir ou intervencionar o edifício, pois este apresentava perigo eminente. Foi constituída uma comissão para fazer a análise técnica do edifício, que emitiu parecer unânime a favor da sua demolição. Por esse motivo a casa da Administração foi demolida, esclarecendo, ainda, não se tratar de uma casa centenária. Informou que, em Portugal, o tipo de classificação pode ser solicitada por qualquer cidadão, órgão local, associação, etc e o Membro Municipal Manuel Letra nunca apresentou qualquer pedido enquanto Presidente de Junta de Freguesia, Membro de associações e/ou cidadão. Informou ainda que uma aluna da Universidade de Aveiro está a realizar um estudo, no âmbito da sua tese de mestrado, para verificar qual é a parte original construída em tijolo, a fim de apresentar um projeto de salvaguarda da chaminé. Esclareceu que esta já não é a original, porque foi reconstruída, sendo mais curta comparativamente à inicial. O Departamento de Engenharia Civil da Universidade de Aveiro é liderado pelo Professor Doutor Eng.º Aníbal Costa, pessoa conceituada nesta área, em Portugal. Terminou a sua intervenção, clarificando que a Câmara Municipal não tem a posse total do edifício, porque foi celebrado um contrato de comodato com uma associação que é, neste momento, a responsável pela gestão do espaço


Manuel Letra – CDS-PP – Interveio, recordando não ter sido esclarecido (..) o paradeiro da cantaria da casa da Administração da Fábrica de Valmaior. Clarificou que os técnicos da Câmara Municipal indicaram ser prudente a demolição parcial da fachada do edifício confinante com a EN-16-3 com a brevidade possível até à altura das padieiras, não a totalidade do edifício. Entende que o assunto foi tratado de forma muito simplista. A fachada deveria ter sido escorada, estabilizada e amarrada com ferro, preservando aquele espaço. O vereador Delfim Bismarck, enquanto membro da
ADERAV, deveria ter defendido a preservação daquele edifício, que é património do município. -

Acta da Assembleia Municipal, 23/06/2017

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Revista Albergue nº 4

A fechar o programa da tarde, foi apresentado o quarto número da Revista Albergue, uma publicação anual que promove a inventariação, preservação, valorização e divulgação da História e do Património do Concelho de Albergaria-a-Velha.




A edição de 2017 reúne 16 artigos que versam sobre arte sacra, demografia, genealogia e património natural, entre outros, destacando-se dois textos relativos às origens do território – “Os Marnéis – A Família de Gonçalo Eriz Fundador de Albergaria-a-Velha em 1117”, de Delfim Bismarck Ferreira e “As Singularidades da Carta de Couto de Osseloa (1117)”, de Maria Alegria Marques.




Em jeito de balanço, Delfim Bismarck referiu que os quatro números da Revista Albergue reúnem 54 artigos de 46 autores diferentes, acompanhados por 950 imagens. No total, são 2300 páginas com trabalhos de investigação, que fomentam um conhecimento mais profundo do Concelho e que a Câmara Municipal quer continuar a promover.




“É objetivo capital deste Executivo a conservação dos valores históricos e socioculturais que caracterizam e tornam ímpar Albergaria-a-Velha”, reforçou António Loureiro.      


CMAV, 13/11/2017

900 Anos

eventos em curso





segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Inteiro Postal

A marcofilia portuguesa tem este mês mais carimbos comemorativos a serem lançados, por haver mais eventos com estas peças filatélicas, e sobretudo pela realização da Exposição Nacional de Filatelia "PORTIMÃO 2017".

[...] no dia 11 o carimbo comemorativo dos "900 Anos de Albergaria-a-Velha 1117-2017", com edição de um Inteiro Postal N20gr.

https://o-filatelista.blogspot.pt/2017/11/noticiario-de-marcofilia-novembro-ii.HTML





domingo, 12 de novembro de 2017

Comemorações dos 900 anos




As comemorações dos 900 anos de Albergaria-a-Velha tiveram, hoje, o seu momento alto com a inauguração da estátua da Rainha D. Teresa. Durante a tarde, foi ainda apresentado o inteiro postal comemorativo e inaugurada a exposição documental “Das Origens a Osseloa”, com achados arqueológicos nunca antes exibidos em público. Destaca-se também o lançamento da Revista Albergue N.º 4 e a bênção de uma nova viatura de socorro dos Bombeiros Voluntários, oferecida pela Autarquia.

Facebook do Município de Albergaria-a-Velha, 11 de Novembro de 2017

sábado, 11 de novembro de 2017

Exposição

11 a 30.11.2017
DAS ORIGENS A OSSELOA
Exposição Documental

Biblioteca Municipal de Albergaria-a-Velha

"A mostra reúne, pela primeira vez, os achados arqueológicos das escavações efetuadas nas Mamoas do Taco, no Monte de São Julião e em Cristelo, que constituem provas materiais dos povoamentos humanos anteriores à Carta de Couto de Osseloa."




--------------------------------------------

Agenda Municipal Albergaria 17 - Antes da alteração: 
02 a 30.11.2017
CARTA DO COUTO DE OSSELOA
Exposição Documental



Ao contrário do que se poderia pensar inicialmente a exposição não incide apenas sobre a Carta do Couto de Osseloa.

Deu-se primazia à exposição dos achados arqueológicos ainda inéditos mas deveria aprofundar-se mais o outro tema uma vez que estamos a comemorar os 900 anos da Albergaria.

[NA]

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Inauguração da estátua da Rainha D. Teresa



No mês em que se celebram os 900 anos de Albergaria-a-Velha, a Câmara Municipal inaugura a estátua da Rainha D. Teresa, mãe de D. Afonso Henriques e fundadora do território através da Carta de Couto de Osseloa de 1117. A cerimónia tem lugar no próximo sábado, 11 de novembro, pelas 16h00, junto da Biblioteca Municipal.

A estátua da Rainha D. Teresa é uma obra do artista Hélder Bandarra, membro fundador do AveiroArte - Círculo Experimental de Artistas Plásticos de Aveiro e autor da estátua Princesa Santa Joana, que se encontra junto do Museu de Aveiro. A estátua foi executada em bronze e tem dois metros de altura, estando colocada sobre uma base de um metro e 90 centímetros.

No âmbito das comemorações dos 900 anos de Albergaria-a-Velha, a Câmara Municipal apresenta, no mesmo dia, pelas 15h30, o inteiro postal comemorativo da data e, pelas 16h30, inaugura, na Biblioteca Municipal, a exposição documental “Das Origens a Osseloa”. A mostra reúne, pela primeira vez, os achados arqueológicos das escavações efetuadas nas Mamoas do Taco, no Monte de São Julião e em Cristelo, que constituem provas materiais dos povoamentos humanos anteriores à Carta de Couto de Osseloa.

A seguir à exposição é apresentado o quarto número da Revista Albergue, uma publicação anual que promove a inventariação, preservação, valorização e divulgação da História e do Património do Concelho de Albergaria-a-Velha. Na edição de 2017, o leitor pode encontrar artigos que versam sobre arte sacra, demografia, genealogia e património natural, entre outros, destacando-se dois textos relativos às origens do território – “Os Marnéis – A Família de Gonçalo Eriz Fundador de Albergaria-a-Velha em 1117”, de Delfim Bismarck Ferreira e “As Singularidades da Carta de Couto de Osseloa (1117)”, de Maria Alegria Marques.

Durante a tarde destaca-se, ainda, a apresentação e bênção de uma nova ambulância de socorro (ABSC) dos Bombeiros Voluntários de Albergaria-a-Velha. O veículo foi adquirido e transformado no âmbito de um apoio disponibilizado pela Autarquia para a compra de viaturas de socorro até ao montante de 100 mil euros.

Em novembro, o programa das comemorações dos 900 anos de Albergaria-a-Velha inclui ainda a peça de teatro “Osseloa”, a 18 de novembro, e a “Gala Lírica” da Orquestra Filarmonia das Beiras, com Carlos Guilherme e Isabel Alcobia, na noite de 25. Ambos os espetáculos decorrem no Cineteatro Alba, estando os bilhetes à venda com preços a partir dos dois euros.          

Data: 07-11-2017

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Lendas Encantadas


As sessões da “Hora do Conto” regressaram, este mês, à Biblioteca Municipal. Até ao final de fevereiro de 2018, todas as crianças do Ensino Pré-Escolar da rede pública, privada e solidária do Concelho vão poder conhecer a lenda sobre a origem do nome “Albergaria-a-Velha”, retirada do livro “Lendas Encantadas”, de Elisa Sá Costa, uma autora local. Pelo meio da história, há ainda tempo para descobrir os diversos espaços da Biblioteca Municipal.

Facebook do Municipio de Albergaria-a-Velha, 19/10/2017

No próximo sábado, pelas 11h00, o livro "Lendas Encantadas" de Elisa Sá Costa é o ponto de partida para uma viagem até às origens de Albergaria-a-Velha. É mais uma sessão "Aos Sábados, Conto Contigo!" que, desta vez, conta com a presença da autora.

Facebook do Municipio de Albergaria-a-Velha, 02/11/2017

Lendas Encantadas’ é o mais recente livro infantil de Elisa Sá Costa que explora a fronteira entre o real e aquilo que é acrescentando pela tradição. Com ilustrações de Vasco Gargalo, o livro passeia por Portugal e dá a conhecer as lendas que ajudam a construir a identidade do nosso território.

A professora escritora apresentou o seu livro, no dia 6 de Fevereiro, em Sever do Vouga, onde dá aulas, e em Albergaria-a-Velha, onde vive.

Do Minho (O Galo de Barcelos e Inês de Melgaço) ao Sul (A Moura Encantada), Elisa Sá Costa não se esqueceu do Centro de Portugal, representado por duas lendas que lhe aquecem o coração: a formação de Albergaria-a-Velha, cidade que a acolheu, e a Sopa da Pedra de Almerim, protagonizada por um frade, personagem que sempre lhe despertou carinho.

Beira-Vouga, 2015





quarta-feira, 25 de outubro de 2017

H4E

O nosso mais recente projeto - o HOTEL**** ROTA DOS MOINHOS, em Albergaria-a- Velha, junto à rotunda com o IC2-EN1.

Este empreendimento turístico corresponde a uma área de construção de 7 280,00 m2, estando previstos 26 quartos individuais e 4 quartos duplos no edifício existente e, 102 quartos duplos, 3 suites e 3 quartos com acessibilidade total distribuídos pelos 3 pisos superiores do novo edifício a construir, num total de 138 unidades de alojamento.

O projeto assenta num programa com características inovadoras, conjugando o conceito de alojamento turístico de elevada qualidade com a prática de atividades física/lazer proporcionadas pela piscina dinâmica, pelo ginásio e por outros espaços afins destinados a tratamentos variados.
Esta oferta turística assenta em padrões de sustentabilidade, tal como preconizam os princípios orientadores de Portugal 2020, nomeadamente através da integração de sistemas de eficiência energética, onde se incluem as energias renováveis e uma gestão inteligente do edifício.

Espaço Objecto. 2017





Comentários (facebook):

Alteração profunda no território com beneficiação evidente do prestígio de Albergaria-a-Velha qualificando uma das entradas da cidade. Parabéns à equipa projectista e sobretudo à visão estratégica do seu promotor que de forma indiscutível ajudam Albergaria-a-Velha no seu rumo de progresso.
Arq. Eduardo Costa Ferreira, 23/09/2017

Já era uma necessidade local. Parabéns aos investidores.
Antonio Lemos Lemos, 24/09/2017

Parabéns! Projecto com visão que permitirá o desenvolvimento sustentado da nossa cidade...
Olinda Dias, 25/09/2017

Nesta altura todas estas notícias são pouco credíveis. Os anos têm- nos trazido estás conclusões. Mas a ser verdade cá estarei para dar os parabéns ao nosso Presidente.
Carlos Silva, 25/09/2017

E sobre a Rota dos Moinhos, que alguns querem desvalorizar: Desde a sua inauguração em Abril de 2014, já por lá passaram (marcações via CM) mais de 3.500 pessoas, tendo só em 2016 contado com 1.628 visitantes oficiais. Para além disso, o número de moinhos tem aumentado, e tivemos este ano uma doação de um moinho no Caima que foi escriturado na passada semana.
Delfim Bismarck Ferreira, 25/09/2017

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Instalação dos órgãos do Município de Albergaria-a-Velha


A cerimónia de instalação da Câmara Municipal e da Assembleia Municipal de Albergaria-a-Velha vai ter lugar no próximo sábado, 21 de outubro, pelas 15h30, no Salão Nobre dos Paços do Município.

Na Assembleia Municipal tomam posse os 21 membros municipais que, de acordo com os resultados das eleições autárquicas de 1 de outubro, estão distribuídos da seguinte forma: 13 membros do CDS-PP, 6 membros do PPD/PSD e 2 do PS. A estes representantes acrescem os presidentes das 6 Juntas de Freguesia, 4 do CDS/PP e 2 do PPD/PSD.

Na Câmara Municipal tomam posse o Presidente António Loureiro (CDS/PP) e os Vereadores Delfim Bismarck (CDS/PP), Catarina Mendes (CDS/PP), Sandra Almeida (CDS/PP), José António Pereira (CDS/PP), José Licínio Pimenta (PPD/PSD) e Nuno Silva (PPD/PSD).       

CMAV, 18/10/2017


segunda-feira, 16 de outubro de 2017

3 Senadores E Um Aspirante



Um registo que nem precisaria de legenda. A amizade, o companheirismo e o apoio destes ex-presidentes autárquicos foram notáveis na apresentação da recandidatura de António Loureiro.
O actual presidente, António Loureiro, com Nunes de Almeida, Rui Marques e Saul Silva.

António Loureiro 2017, 08/07/2017

3 senadores e um aspirante. 25 anos da História recente de Albergaria-a-Velha numa fotografia.

Eduardo Costa Ferreira, 09/07/2017

Não são 25 anos de história, mas sim 36 anos, tantos quantos eu tenho de trabalho nessa casa, comecei com o Presidente Nunes de Almeida, passaram por mim o Dr. Rui Marques, o Saul, o João Agostinho e agora o António Loureiro. Muitas histórias eu vivenciei, umas amargas outras melhores. Muito presenciei do princípio ao fim. Todos passaram e eu ainda lá estou, já me quero ir embora, e vou com o último Presidente. Quando me aposentar vou relatar aqui, por episódios, vai ser uma série, com muitas temporadas, até lá muita saúde para todos.

Maria Manuela Pinho, 09/07/2017

Também eu tenho uns relatos para contar depois. E acredite que foram bem mais tristes dos que provavelmente poderá contar.

Eduardo Costa Ferreira, 09/07/2017

(fonte: facebook)

Últimos Presidentes da Câmara:

* Fernando Nunes de Almeida (1981-1986)
* Dr. Rui Manuel Pereira Marques (1986-1998 / 1999-2002)
* Saúl Oliveira Silva (1998-1999)
Prof. João Agostinho Pinto Pereira (2002-2013)
* António Augusto Amaral Loureiro e Santos (2013-)

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Com 900 anos de idade é um território rejuvenescido


Especial Aniversário do Diário de Aveiro - Texto de António Loureiro (Pres, Câmara de Albergaria-a-Velha)

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Autárquicas 2017

Autárquicas/Resultados: CDS-PP mantém câmara de Albergaria-a-Velha


O CDS-PP manteve a câmara de Albergaria-a-Velha, no distrito de Aveiro, um dos cinco concelhos que o partido já governava desde as autárquicas de 2013, segundo os resultados oficiais das eleições de hoje.


É o seguinte o resultado oficial do escrutínio para o concelho de Albergaria-a-Velha


https://www.autarquicas2017.mai.gov.pt/#




Fontes:
LUSA
SGAI - AE - Secretaria - Geral do Ministério da Administração Interna - Administração Eleitora


Albergaria-a-Velha[editar | editar código-fonte]

PartidoVotos%+/-Vereadores+/-
CDS – Partido Popular8 40860,61Aumento17,12
5 / 7
Aumento1
Partido Social Democrata3 61726,07Baixa10,98
2 / 7
Baixa1
Partido Socialista8686,26Baixa3,71
0 / 7
Estável
Coligação Democrática Unitária2271,64Baixa1,25
0 / 7
Estável
Bloco de Esquerda2121,53Baixa0,02
0 / 7
Estável
Partido da Terra740,53-
0 / 7
-
Votos Inválidos4673,37Baixa1,69
Total13 873100
7 / 7
Eleitorado/Participação22 65861,23Aumento3,76




VEREADORES


CDS/PP - 5
PPD/PSD - 2


ASSEMBLEIA MUNICIPAL


CDS-PP  13 - 56,6% 7.846
PPD/PSD 6 - 26,9% 3.733
PS  2 - 8,1% 1.128
PCP-PEV 0 -  2,1% 289
B.E.  0 - 2,1% 285
MPT  0 - 0,8% 111


JUNTAS DE FREGUESIA:


ALBERGARIA-A-VELHA E VALMAIOR - CDS/PP (Jorge Lemos)


ALQUERUBIM - CDS/PP (António Duarte)


ANGEJA - PPD/PSD (Hélder Brandão)


BRANCA - CDS/PP (Carlos Coelho)


RIBEIRA DE FRÁGUAS - CDS/PP (Henrique Neto)


SÃO JOÃO DE LOURE E FROSSOS - PPD/PSD (Adalberto Póvoas)


ligação


-
CANDIDATOS


A Câmara de Albergaria-a-Velha é presidida desde 2013 por António Loureiro (CDS-PP), que se recandidata ao cargo.

São também candidatos à Câmara de Albergaria o vereador José Licínio Pimenta (PSD), Brito da Silva (PS), Adelino Nunes (CDU), Américo  e Adérito Pinto (MPT).


Em 2013, o CDS-PP alcançou 43,4% dos votos (quatro mandatos) e o PSD 37% (três mandatos). O PS obteve 9,9%, a CDU 2,8% e o Bloco de Esquerda 1,5%, não conseguindo eleger nenhum vereador.
-
BE: Autárquicas: Bloco candidata Américo Pinto à Câmara de Albergaria-a-Velha, 9/8/2017


Américo Pinto, de 67 anos, vai ser o candidato do Bloco de Esquerda à Câmara de Albergaria-a-Velha, nas eleições Autárquicas de 01 de outubro, anunciou hoje o partido. Este soldador, reformado, já foi cabeça de lista pelo Bloco neste concelho em 2009, mas não foi eleito. Para a Assembleia Municipal, a aposta dos bloquistas é o ator Ângelo Castanheira, de 43 anos.

MPT: Autárquicas: MPT candidata Adérito Pinto à Câmara de Albergaria-a-Velha, 25/07/2017


Adérito Pinto, de 67 anos, vai ser o candidato do Partido da Terra - MPT à Câmara de Albergaria-a-Velha, nas eleições autárquicas de 01 de outubro, anunciou hoje o partido. Em comunicado, o MPT diz que vai concorrer pela primeira vez à câmara, Assembleia Municipal e Junta da Branca, por entender que "há espaço político", mas também para "combater o populismo que é muito pernicioso para a democracia". "A defesa do meio ambiente e do ecossistema também são é dos 'cavalos de batalha' a defender, mas também para dar resposta a novas situações e responsabilidades que o Governo e o Parlamento querem transferir para a esfera das autarquias", lê-se na mesma nota.
Licenciado em Teologia Filosófica, e pós-graduado em Direito Administrativo e Especialização em Compras e Contratação Pública, Adérito Pinto iniciou a atividade profissional como professor, vindo depois a ocupar cargos administrativos nos Hospitais de Estarreja e de Aveiro.
Mais tarde, trabalhou como Técnico Superior no Gabinete de Apoio ao Ministro da Administração Interna, transitando depois para os serviços sociais da PSP, até se aposentar. O candidato do MPT à Assembleia Municipal vai ser Albano da Fonseca Serrano, de 66 anos, igualmente aposentado da Função Pública.

CDU: Autárquicas: Sindicalista Adelino Nunes candidato da CDU à Câmara de Albergaria, 11/07/2017


O coordenador da União de Sindicatos de Aveiro, Adelino Nunes, de 55 anos, vai ser o candidato da CDU à Câmara de Albergaria-a-Velha, nas eleições autárquicas de 01 de outubro, informou hoje a concelhia. Natural e residente na freguesia da Branca, em Albergaria-a-Velha, Adelino Nunes, operário metalúrgico, pertence ao comité central do PCP e é membro da comissão executiva da CGTP. Já fez parte das listas da CDU ao Parlamento Europeu e foi mandatário distrital da coligação que junta o PCP e o partido ecologista "Os Verdes" nas últimas eleições Legislativas. Desde 1997, o dirigente sindical tem integrado as listas da CDU aos órgãos autárquicos concelhios, sem nunca ter sido eleito. Para a Assembleia Municipal, a CDU aposta no empregado de balcão João Portugal, de 41 anos.


CDS: Autárquicas: Presidente CDS da Câmara de Albergaria recandidata-se, 30/06/2017


O atual presidente da Câmara de Albergaria, António Loureiro, eleito pelo CDS-PP, vai apresentar no próximo sábado a sua recandidatura ao cargo nas autárquicas de 01 de outubro, anunciou hoje o partido. António Loureiro concorre ao segundo mandato depois de ter conquistado há quatro anos a Câmara de Albergaria ao PSD. "Unidos por Albergaria" é o lema da candidatura que será apresentada oficialmente no próximo sábado às 18:30, no Cineteatro Alba. Natural de Sever do Vouga, António Loureiro, de 47 anos, gestor, tem uma vida ligada ao setor florestal. Foi presidente do conselho de administração da Unimadeiras, empresa que agrega centenas de empresários florestais, entre 2006 e 2015, quando passou a presidente honorário. Foi sócio fundador da Associação Florestal do Baixo Vouga e diretor da Associação Nacional de Empresas Florestais, Agrícolas e do Ambiente, fazendo parte, atualmente, dos órgãos sociais destas duas associações. Ao nível partidário foi presidente da distrital de Aveiro do CDS-PP e faz parte do conselho nacional dos centristas. A Câmara de Albergaria é uma das cinco autarquias que o CDS-PP ganhou sozinho nas Autárquicas de 2013.

PS: Autárquicas: Advogado Brito da Silva é candidato do PS à Câmara de Albergaria-a-Velha, 31/05/2017


O advogado Brito da Silva, de 69 anos, vai ser o candidato do PS à Câmara de Albergaria-a-Velha, nas eleições de 01 de outubro, informou hoje o presidente da distrital do partido. Brito da Silva foi vice-presidente dos Bombeiros de Albergaria-a-Velha e foi presidente da Assembleia Geral do Clube Desportivo de Campinho.


PSD: Licínio Pimenta apresenta candidatura à Câmara de Albergaria sob a bandeira "Novos Tempos"., 28/04/2017


Um ano depois de ter tomado posse como presidente da concelhia do PSD de Albergaria, Licínio Pimenta prepara-se agora para lançar a sua candidatura à Câmara Municipal em sessão marcada para esta sexta, às 21h30, no Salão Nobre da Biblioteca Municipal. A cerimónia contará com a presença do Presidente da Comissão Política Distrital do PSD de Aveiro e Presidente da Câmara Municipal de Ovar, Salvador Malheiro, responsável pela primeira intervenção da noite. De seguida, terá lugar o discurso do candidato do PSD, Licínio Pimenta, que se candidata às eleições do dia 1 de outubro de 2017 com uma "plataforma alargada de apoio e uma Nova Agenda para Albergaria". Licínio Pimenta, de 44 anos, conta já com uma longa experiência política em Albergaria onde foi vereador. Diz ter uma “agenda mobilizadora para o concelho”, marcada pelos "Novos Tempos". O candidato acredita na "mudança" para dar um novo rumo a Albergaria, “capaz de contribuir para o seu desenvolvimento económico e para a crescente afirmação regional e nacional do concelho, reconquistando, assim, um papel que sempre desempenhou no passado”.

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Eleições


Obrigado! É a primeira palavra que quero dirigir a todos os Albergarienses!

Ao longo das últimas semanas, promovemos várias sessões de esclarecimento em todas as Freguesias. Demos a conhecer o nosso trabalho realizado e apresentámos o novo programa eleitoral. A nossa vontade de ouvir as pessoas e debater com elas num ambiente próximo os projectos para o nosso Concelho foi sempre acolhida de um modo incrível, pelo que deixo a todos aqueles que nos acompanharam um profundo agradecimento.

Os últimos meses foram repletos de desafios, mas também de muita alegria e amizade. A Albergaria-a-Velha que hoje damos a conhecer é um projecto no qual o último mandato, sem prejuízo de tudo o que se fez, foram apenas os primeiros e importantes passos na trajectória de projectar o Concelho e de melhorar a sua qualidade de vida. Não iniciámos o último mandato com a ideia de que tudo sabíamos. Fomos aprendendo fazendo. Falando com as pessoas, ouvindo conselhos, percebendo as suas preocupações e os seus anseios e dando o nosso melhor para servir os munícipes. Cometemos erros, mas também batalhámos pelas nossas ideias e conseguimos vitórias com um impacto tremendo na vida dos habitantes deste Concelho.

Muitas vezes, fazer política de forma correta pode ser uma tarefa ingrata. Há muita obra que não se vê mas é essencial para o desenvolvimento sustentável do Concelho, para a captação e fixação do investimento, para o apoio das famílias mais carenciadas. Não tivemos medo de tomar estas decisões, não empurrámos com a barriga opções que tinham que ser tomadas cujos resultados não eram imediatamente perceptíveis mas se foram fazendo sentir, ao longo de todo o mandato, na qualidade de vida no Concelho e nas perspectivas de futuro. Hoje, o potencial do Concelho é incrivelmente maior do que há quatro anos atrás, fruto deste trabalho.

Há uma garantia que vos quero dar a todos: desde ontem à noite que continuo a ser Presidente. Volto a ser Presidente de todos os Albergarienses e, para mim, não há adversários políticos! O nosso partido desde ontem é somente Albergaria! Como até agora, irei ser Presidente de todas as Freguesias! Honrarei perante todos vós os compromissos assumidos!

Há tanto para dizer e agradecer…

OBRIGADO DE A-Z, A TODAS AS PESSOAS QUE INTEGRARAM AS NOSSAS LISTAS!!!

Vocês acreditaram no nosso projecto, quiseram fazer a diferença e dar a cara por ele. Foram incansáveis!!!

Um agradecimento especial a uma grande mulher que é a Ana Maria Bastos, que lutou incessantemente para mudar o rumo da sua Freguesia e, por apenas 9 votos, não ganhou a Junta de Freguesia de S. João de Loure e Frossos. Dou ainda os parabéns à Professora Helena Vidinha que também fez um trabalho notável em Angeja. Ambas não saíram vitoriosas mas deram tudo por tudo em prol das suas gentes e da sua comunidade. Grandes Mulheres! Continuamos a contar com vocês!
Agradeço o apoio dado pelo Presidente da Comissão Política do CDS-PP de Albergaria-a-Velha, o Dr. Paulo Silva Silva, e à Juventude Popular, ao Presidente e ao Coordenador Autárquico da juventude, Pedro Rebelo Tavares e João Cruz, respectivamente.

Quero finalizar dando os meus parabéns ao Jorge Lemos, Presidente da JF de Albergaria-a-Velha e Valmaior, ao Henrique Caetano, novo Presidente da JF da Ribeira de Fráguas, ao Carlos Coelho, Presidente da JF da Branca e ao António Duarte que, numa Freguesia que era monocromática desde o 25 de Abril, onde era difícil, conseguiu inverter esse ciclo!

Quero também endereçar os meus parabéns ao Dr. Mário Branco. Por sempre ter conduzido de forma exemplar os trabalhos da Assembleia Municipal, o povo Albergariense reconheceu-lhe mérito e reconduzi-o no cargo de Presidente do órgão mais importante do Concelho.

À equipa que agora segue comigo, o Dr. Delfim Bismarck, a Dra. Catarina Mendes, a Dra. Sandra Isabel Almeida, o Dr. José António Souto e o meu Chefe de Gabinete Dr. Nuno Ferreira, só vos tenho a agradecer a oportunidade de trabalhar convosco!

O texto já vai longo mas não poderia deixar de agradecer a todos aqueles que, directa ou indirectamente, participaram e contribuíram para o sucesso deste último mandato e, nos últimos meses, da nossa candidatura.

“Last but not least” (último mas não esquecido), um profundo agradecimento à minha Família, em especial à minha mãe Maria Irene Amaral Loureiro e à minha mulher Isabel, que sempre me apoiaram e me deram mais força para continuar!

O povo de Albergaria-a-Velha foi soberano! O voto de todos vós fez a diferença. Estarei sempre disponível para vos receber a todos, de igual forma, na Casa da Democracia Albergariense, no edifício dos Paços do Concelho.

Connosco, as pessoas estarão sempre em primeiro!

Muito, muito obrigado!

Viva Albergaria!

Um abraço!

António Loureiro

terça-feira, 26 de setembro de 2017

História económico-social de Albergaria-a-Velha no século XX




O Município de Albergaria-a-Velha teve uma forte presença na história da indústria em Portugal, nomeadamente a Fábrica do Caima (primeira ábrica de pasta de papel de eucalipto no mundo), a Fábrica de Papel de Valmaior (fornecia papel de impressão para a maior parte das publicações periódicas do país) e a Fábrica Alba (empresa de fundição e metalomecánica que deixou marcas е mobiliário e equipamento urbano em todo o país).

Torna-se importante reconstruir a história económica e social do século XX, tendo em conta a indústria como factor de valorização do municipio com a criação de um livro que destaque as principais indústrias: Alba, Minas do Palhal, Fábrica de Papel de Valmaior, Ferreira & Companhia, Companhia de Celulose do Caima, como principal motor da atividade económica e desenvolvimento social do Concelho.

Foi adjudicado à historiadora Raquel Cardeia Varela um serviço de investigação especializada e criação de um livro sobre a História económico-social de Albergaria-a-Velha no século XX.

http://www.base.gov.pt/Base/pt/Pesquisa/Contrato?a=3671127

Tipo(s) de contrato Aquisição de serviços
Tipo de procedimento Ajuste directo
Descrição Prestação de um serviço de investigação especializada e criação de um livro sobre a História económico-social de Albergaria-a-Velha do século XX
Fundamentação Artigo 20.º, n.º 1, alínea a) do Código dos Contratos Públicos
Fundamentação da necessidade de recurso ao ajuste direto (se aplicável) ausência de recursos próprios
Entidade adjudicante - Nome, NIF Município de Albergaria-a-Velha (506783146)
Entidade adjudicatária - Nome, NIF Raquel Cardeira Varela (206685750)

Objeto do Contrato Prestação de um serviço de investigação especializada e criação de um livro sobre a História económico-social de Albergaria-a-Velha do século XX
Procedimento Centralizado -
CPV 79720000-7, Serviços de pesquisa e investigação
Data de celebração do contrato 10-08-2017
Preço contratual 10.000,00 €
Prazo de execução 780 dias
Local de execução - País, Distrito, Concelho Portugal, Aveiro, Albergaria-a-Velha

À MARGEM

Não há recursos humanos???? A concorrência é de salutar... pena não ser dos concelho de Albergaria!!  Mas como diz o ditado "Albergaria é fraca mãe e boa madrasta!" (Nélia Oliveira, 13/09/2017)

Agora vejam o que foi adjudicado no passado e em alguns dos casos sem haver investigação:  2008 – 13.230,00 € - Monografia de Albergaria-a-Velha; 2006 – 19.498,50 € - Foral de Paus; 2005 – 14.122,50 € - Fac Sim. da Carta do Couto de Osseloa; 2005 – 18.438,00 € - Foral de Angeja. São os valores pagos pela autarquia nos casos que referi. Em alguns casos nem houve lugar a investigação, pois eram reedições apenas. Falta de recursos humanos e o técnico qualificado vai colaborar na sistematização da informação que é imensa. (Delfim Bismarck Ferreira)

sábado, 16 de setembro de 2017

Carta Militar de Portugal



Carta Militar de Portugal (esc.1:25,000) nº 175 - ALBERGARIA-A-VELHA  


Edição/reimpressão: 1990
Editor: Instituto Geográfico do Exército
ISBN: 9789727650637


Coleção:Cartas Militares (Esc. 1:25.000)

sábado, 9 de setembro de 2017

Vida Nova - Moçambique


"Vida Nova" de. 1907, foi, provavelmente, o primeiro jornal operário a circular, publicado em Lourenço Marques, bi-semanal;


Moçambique abrigou a partir de 1896 operários expulsos da métropole pela Monarquia. Foram estes que fundaram em 1899 a Associação de Classe dos Empregados do Comércio e Indústria de Lourenço Marques, que publicava panfletos e edições únicas em datas como o 1º de Maio. Daí que tenha sido um metalúrgico o fundador e proprietário do Vida Nova, ‘Semanário Republicano’, crítico do regime e das elites econômicas locais. Com jornalistas ameaçados e espancados, o jornal sobreviveu à condenação por delito de imprensa em 1908, mas não à destruição da sua tipografia em 1910. Também se assinalam as edições únicas dos jornais libertários Pró-Mártir e O Chocarreiro, que defendiam a unidade dos trabalhadores.



Editor, proprietário e administrador é o Sr. Patrício Luiz Ferreira Leão, que se afastou de nós há bons 10 anos para aquellas longiquas paragens, tendo a auxilial-o o valioso esforço de seu irmão  e nosso amigo Napoleão Luiz Ferreira Leão, considerado proprietário da Quinta Matolla.

Correio d'Albergaria, 1907


sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Nasci com a Trovoada


O Cineteatro Alba apresenta na próxima sexta-feira, 1 de setembro, pelas 21h00, “Nasci com a Trovoada – Autobiografia Póstuma de um Cineasta”, documentário sobre a vida e obra do Albergariense Manuel Guimarães. A sessão contará com a presença da realizadora Leonor Areal e é de entrada gratuita.

CMA

"Nasci com a Trovoada"

Era este o título de um projecto de filme autobiográfico que Manuel Guimarães não chegou a realizar e que agora se apresenta como "Autobiografia póstuma de um cineasta", realizado por Leonor Areal, e cuja estreia acontecerá a 9 de Maio, às 21h30, na Cinemateca, integrado na secção Director's Cut do festival IndieLisboa 2017.

O documentário baseia-se integralmente em materiais de arquivo: filmes, fotografias, artigos de jornal, cartas e diários. Manuel Guimarães é a voz de narrador que nos conduz através da sua vida e obra. Em diálogo com fragmentos dos seus filmes, esta “autobiografia póstuma” assume-se como uma outra ficção.

Outras informações em http://nascicomatrovoada.blogspot.pt 

http://manuel-guimaraes.blogspot.pt/2017/04/nasci-com-trovoada.html

Documentário estreado na Cinemateca no dia 9 de Maio 2017.

Sinopse:

NASCI COM A TROVOADA - Autobiografia póstuma de um cineasta

«Gostaria de ter um neto. Poderia ser uma neta. Ela casaria e teria filhos. Falariam algum dia de mim?... “O teu bisavô era realizador de cinema. Fez uns filmes. Alguns, segundo os jornais da época, prometiam. Também pintava qualquer coisa. Mas abandonou. Viveu muito mal. Sempre cheio de dúvidas e de aflições. Quem pagou foi a bisavó, coitada!” Que mais poderão dizer de mim? Que morri de um enfarte, talvez, aos 52 anos de idade!... Quando farei outro filme? »

Manuel Guimarães (1915-1975) foi o principal cineasta neo-realista do cinema português. Os seus filmes revelam um olhar original sobre a sociedade portuguesa, escolhendo personagens consideradas marginais: saltimbancos, pescadores, vadios, prostitutas, estivadores, jornaleiros, etc. Nelas se espelha uma arte de sonhar, aliada a uma ética da resistência e à capacidade de sacrifício que nunca abandona a esperança.

O seu cinema é de índole trágica, mas também a vida do realizador, sacrificada à sua obra, espelha uma outra tragédia pessoal: a de um homem de talento que queria voar alto, mas teve de viver os «anos de chumbo» da ditadura, sofrendo amargamente às mãos da censura.

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Eleições 2017


https://ephemerajpp.com/2017/08/19/eleicoes-autarquicas-de-2017-albergaria-a-velha-angeja-ps/

Já apareceu no Ephemera uma primeira entrada sobre as eleições autárquicas no nosso concelho. Esperemos que haja muitas outras contribuições que tenham dado entrada e que as candidaturas locais tenham o cuidado de guardar para remeter para o referido arquivo.

https://ephemerajpp.com/category/geo-portugal/albergaria-a-velha/

Será mais fácil e mais completo e abrangente se forem os próprios partidos / candidaturas locais a guardarem tudo o que produzirem para todas as freguesias.

Há cada vez mais locais associados ao Ephemera onde se podem entregar esses materiais o que facilita o processo de entrega.

Além de ficarem guardadas num arquivo importante poderão eventualmente aparecer em alguma exposição que se venha a realizar a nível distrital ou servir de fonte a publicações que procurem essa informação.

De Albergaria-a-Velha já tem alguns exemplos de materiais de eleições passadas e mais poderão ter se houver contribuições (de anteriores mas sobretudo de futuras eleições) de quem está ligado directamente aos partidos e/ou às candidaturas.

https://ephemerajpp.com/?s=albergaria&x=0&y=0
---

APELO (para partilhar): AS AUTÁRQUICAS JÁ COMEÇARAM

As eleições autárquicas são as mais difíceis de cobrir. Há milhares de listas (municípios, concelhos, freguesias) e um número muito elevado de espécimes de todo o tipo. Um cálculo que fizemos sobre o número de espécimes nas eleições de 2013 chegou às muitas dezenas de milhares (painéis, faixas, cartazes, autocolantes, calendários, panfletos, objectos, materiais audio-visuais, etc., etc., Nessas eleições conseguimos recolher por volta de 35.000 espécimes, menos de metade do que foi produzido. E ninguém, mesmo ninguém, faz esta recolha. Daí o apelo a que comecemos desde já, o mais depressa possível, a organizarmos-nos para cobrir a maioria do pais. Muitas campanhas oferecem-nos também os seus materiais e eles são bem vindos, mas lembro que o carácter do arquivo valoriza o material físico para além do digital.

Tenho a certeza que com os nossos magníficos amigos vamos conseguir uma grande recolha.

Obrigado.
https://www.facebook.com/ArquivoEphemera/

ephemerajpp -  2013

http://abrupto.blogspot.pt/2013/09/ephemera-apelo-com-urgencia-para-que-e.html
Depois das eleições começa de imediato a destruição de cartazes, panfletos, objectos de propaganda, com o encerramento e “limpeza” das sedes.

Por isso, nos contactos com as candidaturas e os voluntários que ajudam o EPHEMERA neste trabalho se salienta sempre a importância de recolher o papel de um panfleto, mesmo quando haja o texto na Rede.

Apelo a todos para que ajudem neste trabalho, voluntário e voluntarioso, nas suas terras, freguesias e concelhos, nas candidaturas em que participem, nos partidos e movimentos de que façam parte.
http://ephemerajpp.com/category/geo-portugal/albergaria-a-velha/

CONTACTOS:

https://ephemerajpp.com.
http://www.officialjpp.com/
jppereira@gmail.com

O Arquivo Municipal também poderia reunir esse tipo de espólio mas não sei se o faz. Poderia ser boa ideia uma exposição com materiais que foram usados em campanhas autárquicas locais. Por serem coisas que nem sempre se guardam e por outro lado porque há sempre motivos de interesse como candidatos que já não nos lembramos, slogans e mesmo o aspecto visual das campanhas.

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

900 Anos

Neste quadrimestre, destacamos o mês de Novembro, altura em que se comemorarão os 900 anos de Albergaria-a-Velha, fundada em 1117 pela Rainha D. Teresa. Nesse mês estarão em destaque: a peça de teatro Osseloa, numa viagem pelos nove séculos de Albergaria-a-Velha, a Gala Lírica com o tenor Carlos Guilherme, a soprano Isabel Alcobia e a Orquestra Filarmonia das Beiras, a exposição Carta de Couto de Osseloa, a edição do quarto número da revista Albergue - História e Património de Albergaria-a-Velha, entre outras actividades.

Agenda Municipal Albergaria SET/OUT/NOV/DEZ 2017

* Carta de Couto de Osseloa - Exposição Documental
2 a 30 de Novembro - Biblioteca Municipal

* I Conferência Internacional  de Gestão de Informação e Arquivos
3 e 4 de Novembro - Cineteatro Alba 

* Maria João e João Farinha
3 de Novembro - Cineteatro Alba

* Revista Albergue - História e Património de Albergaria-a-Velha
Apresentação do Nº 4
11 de Novembro - Biblioteca Municipal

* Osseloa - Teatro - Criação da Companhia do Jogo / AlbergaR-tE
18 de Novembro - Cineteatro Alba

* Gala Lírica de Nápoles A Nova Iorque! - Orquestra Filarmonia das Beiras, Carlos Guilherme e Isabel Alcobia
25 de Novembro - Cineteatro Alba

sábado, 26 de agosto de 2017

Osseloa - Teatro


18 novembro 2017 | sábado | 21h30
Cineteatro Alba – Sala Principal
OSSELOA

4€ – Bilhete normal
2€ – Cartão Amigo, Cartão Sénior Municipal, Cartão Municipal de Voluntário e Jovens SUB 23
75 min. | M/6

Há mais de novecentos anos que Albergaria-a-Velha está na encruzilhada entre o Porto e Lisboa, a costa e o interior de Portugal. Em Osseloa, vemos como o Município, nascido de um ato de generosidade de uma velha rainha, não só é crucial para as relações entre norte e sul, este e oeste, como também faz a ponte entre o passado e o futuro, conciliando o património histórico e arqueológico com a inovação industrial e tecnológica.

texto Jorge Louraço
criação Companhia do Jogo / AlbergaR-TEdireção artística e encenação Victor Valente
interpretação Ângelo Castanheira, António Morais, Bruna Herculano, Miguel Henriques, Susana Paiva
figurinos Tucha Martins /Alquimia das Tendências
design gráfico Ícaro

http://www.cineteatroalba.com/osseloa/

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Um Novo Espaço Público da Cidade


https://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/106146
Bruna Filipa Ferreira Melo
Título:  Um novo espaço público da cidade de Albergaria-a-Velha
Data:  2017-04-06


Descrição:  Numa cidade a quantidade e a qualidade dos seus espaços públicos determinam em grande medida a melhor qualidade urbanística da mesma. Ainda em relação a esses espaços, importa que se proporcionem as condições favoráveis a uma relação de bem estar na interação que se estabelece entre os vários elementos arquitetónicos dos mesmos e as pessoas que deles usufruem. Neste trabalho foi elaborado um estudo do espaço público de uma cidade Portuguesa, neste caso a cidade de Albergaria-a-Velha situada no distrito de Aveiro. Através de várias ferramentas, como pesquisas bibliográficas e de arquivo, entrevistas, e elaboração de maquete de projeto, efetuou-se uma análise detalhada dos dois principais espaços públicos da referida cidade - a Praça Ferreira Tavares e a Praça da Alameda 5 de Outubro. No decorrer do trabalho foi efetuada uma análise dos espaços de acordo com diversos pontos de vista. Como resultado deste estudo, conclui-se pela necessidade e importância de se tomarem algumas medidas de foro arquitetónico que possam de algum modo dinamizar e revitalizar os referidos espaços públicos carismático e centrais da cidade, uma vez que da análise realizada se constatou que estes espaços estão gradualmente a transformar-se em espaço "mortos" no atual contexto do tecido urbanístico da cidade em causa.


Assunto:  Artes
Localização Física:  203401
ID Sistema:  http://hdl.handle.net/10216/106146
Tipo de Documento:  Dissertação
Condições de Acesso:  openAccess
Aparece nas coleções: FAUP - Dissertação

https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/106146/2/203401.pdf

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Arqt. Eduardo Costa Ferreira


P: Considera que o facto de se tratar de um município de menor dimensão altera em algum aspeto a forma como trabalha?

R: Eu vejo câmaras no interior do país em que os recursos disponíveis são mais bem utilizados do que no litoral. Não sei a razão, mas de facto isso acontece. Penso que talvez seja uma questão cultural.

P: Que oportunidades lhe deram como arquiteto ao trabalhar numa instituição como esta - uma autarquia?

R: A mim deram-me todas as oportunidades para trabalhar como arquiteto neste município.

P: Quais diria que são as virtudes/vantagens em trabalhar num câmara/autarquia?

R: Para mim a grande vantagem de trabalhar numa Câmara é poder fazer a diferença para as pessoas. Eu trabalho numa autarquia onde acho que posso valorizar a vida das pessoas. Aliás, eu acho que como arquitetos numa Câmara deveríamos de estar a promover o bem-estar público.

P: Se tivesse oportunidade, o que mudaria no município ao nível do trabalho envolvido na área da arquitetura? Alguma medida que considere que, por exemplo,
não existindo restrições como as de carácter económico, seria interessante colocar em prática tendo em conta o contexto geoespacial do Concelho?

R: Quando se fala nisto era importante pensá-lo do ponto de vista da sustentabilidade. Por exemplo criar uma rede de transportes, tanto interna como externamente, bem estruturada acho que era fundamental existir. Mas será isso era sustentável? Na minha opinião desde que vim para este município existem dois pontos-chave que eu considerava, e ainda considero, como importantes. A criação de um aeródromo em Albergaria-a-Velha de forma a podermos trazer passageiros de Lisboa e Porto. E depois construíamos aqui um grande centro de diversões. Seríamos um centro de aventura e de diferença cultural da região centro do país. Uma das coisas que eu incentivaria nos espaços públicos era um incremento na colocação de estatuária e esculturas nos mesmos. Não temos tradição, embora no passado tivemos alguma, e acho que é uma forma de compor os espaços. Tem uma dupla vantagem: dá identidade aos espaços, e permite o agradecimento público aqueles que fizeram algo em prol da comunidade.

P: Há quanto tempo trabalha neste município?

R: Comecei a minha carreira aqui e aqui vou terminá-la. Já lá vão 33 e meio, quase 34 anos.

Entrevista realizada por Bruna Melo ao Arquiteto Eduardo Costa Ferreira da Câmara Municipal de Albergaria-a-Velha (Tese de mestrado apresentada à Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto, Abril 2017)

Notas Adicionais:

O Edifício da Câmara Municipal sofreu profundas obras de requalificação entre 1986 e 1993, sob um projeto da autoria do Arquiteto Eduardo Costa Ferreira. Foram iniciadas obras de remodelação em fevereiro de 1989, que ficaram concluídas em março de 1993. O projeto de remodelação foi da autoria do arquiteto Eduardo da Costa Ferreira, atual chefe da Divisão de Planeamento, Gestão Urbanística e Requalificação Urbana da Câmara Municipal.

Foi também o autor da remodelação da nova Biblioteca Municipal, do Centro Cultural de São João de Loure, Novo quartel dos Bombeiros, etc...

Ver também Tese de Elsa Santos sobre estágio na CMA

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Ligações do Partido Comunista a Albergaria-a-Velha durante o Estado Novo

(...)

Em 1936 [António Gomes da Silva/«Russo»] conheceu Anastácio Ramos, que o convenceu a entrar para o partido e para o SVI, foi detido e condenado em TME. Em 1938, Dr. Ferreira Soares convida-o a entrar de novo no partido e, depois da morte dele, apareceram diversos delegados da organização comunista, com quem passou a manter contacto, entregando propaganda e desenvolveu assim a organização de Ovar, de Águeda e de Albergaria-a-Velha. Para o desenvolvimento da organização contactou com Augusto de Lemos Henriques Ribeiro Pinheiro/«Augusto da cadeia».

(...)

No dia seguinte [5/11/1943], era interrogado José Gonçalves Sapateiro. O jornal Avante era-lhe entregue por Manuel Godinho/«Manuel das Cavadas». Ele tinha constituído duas células: a primeira com Evaristo Ferreira Lopes e Danilo Soares Alves Martins, da Faculdade de Direito de Coimbra. Evaristo foi para a Marinha e Danilo para Coimbra e ele constituiu uma nova célula, composta por Álvaro Correia Leite/«Barito» que trabalhava na Fundição de Albergaria-a-Velha e Germano Gomes Pinho/«Germano Serrano». Na véspera da greve de São João, Godinho informou-o do que se ia passar no dia seguinte, encarregando-o de distribuir nessa madrugada panfletos comunistas, o que fez para se livrar da greve porque tinha muito trabalho nessa ocasião.

(...)

Em Dezembro de 1943, são presos membros do partido comunista nos concelhos de Ovar, Albergaria-a-Velha e Águeda. Naquela vila, apareceu um homem que dava pelo nome de «Mário», que começou a acompanhar com Moisés Ferreira Lamarão e alguém lhes disse que era comunista. Este Mário era um homem bastante culto e constava que tinha sido expulso de uma repartição ministerial por questões políticas. Do mesmo documento, consta que Henrique Marques Alexandre, médico veterinário, «era desafecto da actual situação política do nosso país, sendo ainda elemento com pouca moral». Nos interrogatórios, Henrique Marques Alexandre, médico veterinário, nega qualquer ligação ao partido comunista e confirma que apenas recebe os jornais que Augusto da Cadeia lhe vende e dá dinheiro à organização comunista por caridade.

António Bernardino Tavares/«Rodas», José Gomes Ferreira/«José Francês», Luís Silva e Costa, escriturário, Leandro Gomes Ferreira, ajudante de notário, Henrique Marques Alexandre, médico veterinário, Paulo Mendes da Paz, embalador metalúrgico, João Pires Caramonete, ajudante de farmácia, detidos para averiguações, em Dezembro de 1943. José António Lopez Novelle, comerciante, de Orense-Espanha, residente em Albergaria-a-Velha, detido para averiguação de «actividades subversivas», nos interrogatórios responde que vivia em Portugal há trinta anos e que há oito meses Augusto de Lemos Henrique Pinheiro/«Augusto da Cadeia» lhe entregou alguns jornais Avante e, embora tivesse contribuído com algum dinheiro, para auxílio das famílias dos presos políticos, não era comunista.

(...)

António Bernardino Tavares/«Rodas», também recebeu jornais por intermédio de «Augusto da Cadeia» e deu-lhe dinheiro mas «não tem ideal político», embora soubesse que ele pertencia à «organização subversiva».

Leandro Gomes Ferreira, ajudante de notário, é democrático e considerava que no regime actual não existia liberdade de palavra ou religião, esteve filiado no tempo da democracia no Partido Republicano Português, e há cerca de 6 meses conheceu «Augusto da Cadeia» que lhe entregava os jornais que lia e rasgava, assim como lhe dava dinheiro, mas apenas o fez por caridade porque não era comunista.

(...)

«Augusto da Cadeia» era carcereiro da comarca de Albergaria-a-Velha e responsável por um «grupo» dessa localidade. Por intermédio de Luís da Silva e Costa, conheceu outro que lhe dava os jornais comunistas e depois este apresentou-lhe o António das Neves Martins de Barros, a quem passou a entregar o material de propaganda.

(...)

Extractos da tese "O sindicalismo português entre 1933 e 1974:orientações políticas e estratégicas do Partido Comunista Português para a luta sindical" de M. F. R. Lopes que referem algumas ligações a Albergaria-a-Velha

http://repositorio.ul.pt/handle/10451/7351

O sindicalismo português entre 1933 e 1974:orientações políticas e estratégicas do Partido Comunista Português para a luta sindical - Lopes, Maria Filomena Rocha - 2010
Tese de doutoramento, História (História Contemporânea), Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 2012